09 de abril de 2024 #ChileDiverso #ChileSustentável

Chiloé: cultura, natureza e sustentabilidade

Configurações de acessibilidade

A Rodovia Pan-Americana, ou Rota 5, que atravessa o Chile de norte a sul, faz uma parada abrupta em Pargua, o porto de partida para o Arquipélago de Chiloé. Para continuar, é necessário pegar uma balsa para atravessar o Canal de Chacao, de onde a ilha é pouco visível no horizonte. As águas profundas, o vento e os 20 graus da manhã ensolarada convidam à contemplação durante a viagem de trinta minutos. Os passageiros observam a natureza enquanto o capitão lhes diz que na ilha "em um dia você passa por todas as estações do ano". 

Apesar do aparente isolamento de Chiloé, os padrões ambientais internacionais são mantidos na ilha. Nessa região, famosa por suas igrejas de madeira que são Patrimônio Mundial da UNESCO, casas coloridas e parques com natureza exuberante e flora e fauna intactas, o turismo sustentável é uma realidade.

Os palafitos são um dos emblemas de Castro, que cativam os turistas com sua variedade de formas e cores.

Exemplos disso podem ser encontrados no vilarejo de Puqueldón, onde o município apoia a reciclagem de plásticos para incorporação à cestaria local ou o aluguel de copos plásticos para turistas durante festivais tradicionais, demonstrando o compromisso de combinar o cuidado ambiental com o turismo responsável. Os alojamentos usam energia solar, têm sistemas de reciclagem e promovem o turismo rural como uma atividade que impulsiona a economia local e apoia as comunidades indígenas. 

O Festival Costumbrista Chilote de Castro, com seus produtos agrícolas, artesanato e gastronomia local, atrai visitantes de todo o Chile e do mundo. Com 170 expositores de grupos de bairro, o evento oferece uma variedade de sabores para degustar, desde maja (cidra de maçã), curanto en hoyo, cordeiro al palo, asado de vaquilla, até milcao, chapalele e requintados "calzones rotos" para a sobremesa.

O Festival Costumbrista Chilote de Castro atrai centenas de turistas que buscam conhecer as tradições da ilha.

O prefeito Juan Eduardo Vera explica que "esse território não está fechado à globalização, mas mantém suas tradições vivas", porque "uma comunidade que cuida de sua história permanece viva no tempo". Ele lembra que Castro, a capital de Chiloé, "trabalha pela sustentabilidade", o que lhe valeu ser escolhida entre as 100 cidades mais verdes do mundo pela organização Green Destinations em 2019.

Mulheres e turismo rural

Há anos, Chiloé vem promovendo um modelo de turismo com experiências autênticas, uma das marcas registradas do qual é o envolvimento das mulheres locais. Doris Millán (61), a primeira guia turística do grupo étnico Huilliche, enfatiza que "não havia guias mulheres, então era uma grande luta para trabalhar". Ela enfatiza que "tentamos chegar a todos os locais de agroturismo rural em Chiloé, porque precisamos divulgar a cultura por meio das pessoas daqui". Aproveitando a maré baixa, ela coleta mexilhões e moluscos na praia de Rilán - localizada a meia hora de barco de Castro - para um "curanto participativo", que é preparado pelos vizinhos do setor La Estancia.

Doris Millán (61), juntamente com correspondentes estrangeiros da agência de notícias chinesa Xinhua, EFE e Deutsche Welle.

Sob a supervisão de Doris, os turistas se tornam catadores, procurando entre as pedras e a areia molhada. Basta levantar uma pedra e os mexilhões em forma de gancho aparecem; "é preciso limpá-los e separá-los", diz Doris. Quando a cesta está cheia, ela diz com um sorriso que "ninguém passa fome na ilha, é impossível" e que "é tudo culpa da Pincoya", uma mulher da mitologia de Chiloé que dança nas praias e gera uma abundância de peixes.

A ilha sustentável

Da enseada de Chonchi, é possível ver a ilha de Lemuy, hoje habitada por apenas quatro mil pessoas. A principal cidade é Puqueldón, que em 2022 recebeu o prêmio de Melhor Aldeia Turística da ONU Turismo, uma iniciativa global que destaca as aldeias turísticas que preservam culturas e tradições, oferecem oportunidades para a comunidade e protegem a biodiversidade. De acordo com o prefeito Rodrigo Ojeda, "esse prêmio significou um aumento substancial no número de visitantes em nossa comuna e criou novos empregos".

O município tem um centro de reciclagem onde os empresários locais de Isla Bonita, que coletam resíduos plásticos nas praias, os transformam em bases para copos que são incorporados como base para cestas tecidas com fibra vegetal de manila. Além disso, a Câmara de Turismo da comuna promove práticas sustentáveis em albergues, acampamentos e restaurantes, a maioria dos quais são empresas familiares.

Centro de reciclagem para empresários locais em Isla Bonita, promovido pela Prefeitura de Puqueldón.

Yolanda Millapichún (Yoli, 62) mora na ponta da ilha, em Detif, e é a guardiã de 112 sementes de batata nativas de Chiloé, das quais ela vende as espécies mais comuns. Yoli, que foi declarada patrimônio vivo de Lemuy, diz que faz esse trabalho há 12 anos e que "é um trabalho muito árduo, mas quando vejo os resultados, fico animada e digo que isso não pode ser perdido". Ano após ano, ela planta três sementes de cada uma das 112 espécies em seu "Jardim de Batatas", do qual tanto se orgulha. Cada variedade tem seu próprio nome, criado pelos próprios habitantes locais, como "Meca de gato", "Manuela" ou "la Bruja".

Yolanda Millapichún (62) colhe batatas há mais de 10 anos e seu trabalho preserva cerca de 200 variedades dessevegetal.

Dessa forma, esse guardião de sementes contribui para preservar as quase 200 variedades de batatas de todas as formas e cores que existem em Chiloé, colaborando para a conservação de um território cujas pessoas cuidam da natureza desse lugar com responsabilidade.

Outras notícias relacionadas
03 de maio de 2024 #SustainableChile
May 03, 2024 #SustainableChile #Columns
02 de maio de 2024 #SustainableChile

Boletim informativo

Imagem do Chile