22 de janeiro de 2024 #SustainableChile

Tratado Global dos Oceanos - o que é? Cinco chaves para entender sua importância

Configurações de acessibilidade

O Chile tornou-se o primeiro país a ratificar o Acordo sobre Biodiversidade Marinha Além da Jurisdição Nacional (BBNJ). Ao fazê-lo, compromete-se a fortalecer a governança em alto mar e estabelece a conservação e o uso sustentável da biodiversidade como objetivo principal. Resumimos esse verdadeiro marco ambiental em 5 pontos.

1. O oceano como protagonista

Em termos gerais, esse acordo tem como objetivo converter 30% dos oceanos do mundo em áreas protegidas até 2030. Ele prevê o uso sustentável dos recursos genéticos marinhos, a avaliação dos impactos ambientais e o compartilhamento equitativo dos benefícios, especialmente para os países em desenvolvimento.

O acordo protege as chamadas "águas internacionais", aquelas além de 200 milhas náuticas da costa, que constituem dois terços do total dos oceanos.

Ele também promoverá o gerenciamento sustentável da biodiversidade marinha em nível global para garantir vários direitos humanos, como o direito à alimentação e ao meio ambiente.

2. além de 200 milhas

O acordo protege as chamadas "águas internacionais", aquelas que estão além das 200 milhas náuticas da costa e que constituem dois terços do total dos oceanos. Até o momento, essas águas são gerenciadas por acordos e órgãos internacionais sem jurisdição ou regras específicas para sua proteção.

3. Um tratado de nova geração

O BBNJ é considerado um tratado de nova geração, pois incorpora a evolução do direito ambiental internacional, inclui uma abordagem multilateral para a proteção do ambiente marinho e estabelece a conservação e o uso sustentável da biodiversidade como seu principal objetivo. Ele incorpora a regulamentação dos recursos genéticos marinhos, incluindo as informações da sequência digital de tais recursos ou a noção de mudança climática.

4. Importância para o Chile

Em relação ao oceano, o Chile tem uma posição estratégica de Estado, com uma visão abrangente sobre sua conservação e uso sustentável, o que se expressa em sua participação em iniciativas internacionais (anfitrião da Conferência Nosso Oceano em 2015; membro do Painel de Alto Nível para uma Economia Sustentável do Oceano; copresidente do Diálogo Climático do Oceano no âmbito da UNFCCC) e a proteção formal de 43% de suas águas jurisdicionais.

O BBNJ envolve o Chile na governança global de áreas além de sua jurisdição nacional, ampliando sua influência nas decisões. Isso é estratégico devido à natureza oceânica do Chile (a 11ª maior Zona Econômica Exclusiva do mundo) e ao seu status de país em desenvolvimento.

5. As próximas etapas

O pacto foi acordado em 4 de março nas Nações Unidas e adotado formalmente em 19 de junho de 2023. O Chile o assinou em 20 de setembro, sendo ratificado por unanimidade pelo Senado em janeiro de 2024. Paralelamente, o Chile se ofereceu para sediar o Secretariado do BBNJ em Valparaíso, que ainda precisa ser aprovado pelas partes.

Um total de 83 países e a União Europeia já assinaram o BBNJ. Caberá ao Secretário-Geral da ONU convocar sua primeira Conferência das Partes (COP).

Para obter mais informações, consulte esta nota do Ministério das Relações Exteriores do Chile.

Outras notícias relacionadas
15 de fevereiro de 2024 #SustainableChile
13 de fevereiro de 2024 #ChileGlobal #ChileSustentável

Boletim informativo

Imagem do Chile